19/08/2018

Austin City Limits tem Solange Knowles e Jay-Z, mas público pede Beyoncé

Por Felipe Branco Cruz, em Austin (EUA)*
Publicado originalmente no UOL em 07/10/2017

Embora as principais atrações do Austin City Limits, que começou nesta sexta-feira (6) e vai até o próximo domingo (15), seja bastante semelhante ao de outros festivais do Brasil, o evento norte-americano possui uma identidade bastante peculiar. Ocorre em uma imensa área do Zilker Park, na capital do Texas, capaz de abrigar confortavelmente 75 mil pessoas por dia, e permite que as pessoas levem suas próprias sombrinhas, cadeirinhas de praia e até bolas de futebol americano.

Durante o dia, a sensação do público é de estar passando a tarde em um parque, com a diferença de que nos sete palcos montados no local, estão se apresentando grandes nomes da música.

O UOL, em parceria com a Red Bull TV, está transmitindo ao vivo os principais shows. Assista aqui. Neste sábado, as apresentações de Spoon, Red Hot Chili Peppers, Angel Olsen, The Black Angels e Tove Lo poderão ser assistidas aqui. A transmissão continua neste domingo, com novas atrações, como Run The Jewels, The Growlers, Gorillaz, entre outros.

Esta característica do festival permite que no mesmo espaço seja possível encontrar pessoas de todas idades, desde crianças brincando com bolas de futebol americano no meio do gramado, como homens e mulheres mais velhos, interessados nas atrações locais texanas, como o country music do Asleep At Whell ou o classic rock do Lukas Nelson (filho de Willie Nelson, um artista reverenciado na cidade com direito até a uma estátua em tamanho real feita em bronze).

Grandes shows

No horário da manhã, uma das principais atrações foi Lukas Nelson & Promisse of Real. O guitarrista de 28 anos herdou do pai a destreza na guitarra e entregou para o público um show brilhante, com direito a um cover dos Beatles de fazer inveja em Paul McCartney. Lukas e sua banda excursionaram no ano passado com Neil Young, tocando inclusive no Festival Desert Trip, na Califórnia.

À noite, o perfil do público muda completamente. Saem as crianças e os mais velhos e ficam os mais jovens, interessados em atrações como Jay-Z, The xx e Solange Knowles. Essa característica faz com que o espaço do parque nunca fique completamente lotado, já que é bem fácil entrar e sair do lugar (exceto pela rigorosa revista que os seguranças estão fazendo no público).

Proposital ou não, o fato é que o festival teve nesta primeira noite, em um palco, o show de Solange Knowles, irmã de Beyoncé, e logo na sequência, em outro palco, o show de Jay-Z, marido da cantora. Na plateia –e também nas redes sociais– só se falava na possibilidade de uma aparição surpresa da cantora no show da irmã ou no do marido. Nenhuma das duas coisas aconteceu, embora muita gente tenha dito ter visto Beyoncé (que deu a luz gêmeos recentemente) circulando por lá.

Independentemente disso, a carismática Solange fez um show impecável, com direito a dança moderna no palco (que mais parecia uma coreografia da Deborah Colker) e um afinação que soava, por vezes, melhor do que a da irmã mais famosa. O fato é que Solange está se tornando um dos grandes nomes do R&B com uma identidade própria e um repertório sofisticado, em um ritmo menos radiofônico, porém de altíssima qualidade.

Ao final do show de Solange, o público se dividiu entre outros dois palcos onde ocorreram simultaneamente as apresentações da banda The xx e do rapper Jay-Z. Difícil dizer quais dos dois estava mais lotado. O show de Jay-Z foi repleto de hits dos quais ele teve alguma atuação, como “Empire State of Mind”, feito em parceria com Alicia Keys, “Numb”, em parceria com o Linkin Park, dedicado ao cantor Chester Bennington, e até “Forever Young”, do Alphaville, que ele usou para samplear uma nova música.

*O repórter viajou a convite da Red Bull Brasil

O que você achou dessa notícia? Comente