14/11/2018

Quando ela disse SIM!

Há quatro anos eu recebia o terceiro “sim” da garota mais linda e extraordinária que conheci, a Marcela. O primeiro foi dentro da fábrica da Peugeot Citröen, em Porto Real, em meados de 2006. Neste dia ela disse “sim” quando ofereci fones de ouvido para ouvir a tradução simultânea de um francês que falava sobre o mercado automotivo brasileiro. Nós não nos conhecíamos e mal sabíamos que, quatro anos depois, ela diria sim para uma viagem que faríamos para a França. Coincidência ou mais uma dessas travessuras do destino? Não sei. Só sei que naquele dia eu tremia e suava frio pois uma desconhecida, mas linda garota, tinha aceitado alguma coisa de mim.

O segundo “sim” veio no ano seguinte, em 21 de julho de 2007, quando, finalmente, criei coragem e a convidei para sair. Ela aceitou e nós nos beijamos pela primeira vez. Se eu desconfiava que ela seria a mulher da minha vida, depois daquele beijo, eu tive certeza. Finalmente, ela me deu seu terceiro “sim” no dia 11 de agosto de 2007, quando aceitou namorar comigo. Achei que fosse ter um ataque do coração, de tão forte que ele batia, quando Marcela mirou seus olhos em mim e com sua voz doce verbalizou aquilo que já dizia com os olhos.

Depois disso, o que mais ouvi dela foi a palavra “sim” e ela também ouviu muitos “sim” de mim também. Hoje damos um grande “sim” para a vida que passamos a construir juntos. Mas, o mais importante de todos os “sim”, viria três anos depois, no dia 26 de fevereiro de 2011, quando ainda mais nervoso ouvi da Marcela o “Sim” para nos casarmos e sim, para passarmos o resto da vida juntos. E, mais uma vez, sim, quase que tive outro treco de novo.

Agora, às vésperas de viajarmos para Paris, lembro daquele primeiro “sim” que ouvi da Marcela. Um sim para um simples fone de ouvido que, por meio de seus alto-falantes, se escutava a tradução do que dizia um executivo francês. Na próxima semana, quando estivermos na cidade mais linda do mundo, nem eu nem ela teremos fones de ouvido para traduzir o francês que escutaremos às margens do Sena ou num dos belos jardins da cidade. Mas não importa. Quando se ama de verdade uma pessoa, não é preciso tradução. Você entende o que ela quer dizer observando seu olhar, os gestos ou um toque.

Marcela te amo!
Feliz quatro anos de namoro.

Para ela, deixo a letra de uma das músicas mais bonitas dos Beatles:

A letra traduzida:

Algo na maneira em que ela se move,
Me atrai como nenhum outro amor
Alguma coisa em seu jeito me agrada

Eu não quero deixa-lá agora
Você sabe que acredito e muito

Algum lugar em seu sorriso, ela sabe
Que não preciso de outra
Algo em seu jeito que ela me mostra

Eu não quero deixa-lá agora
Você sabe que acredito e muito

Você me pergunta se meu amor vai crescer
Eu não sei, eu não sei
Fique por perto e você verá
Eu não sei, eu não sei

Alguma coisa em seu jeito, ela sabe
E tudo que tenho de fazer é pensar nela
Algo nas coisas que ela me mostra

Eu não quero deixa-lá agora
Você sabe que acredito e muito

6 Comentários

  1. Ana Rita Martins

    Ai que lindo… Vocês são uns queridos. Toda felicidade do mundo!! Sempre.

  2. ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ lindos ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

  3. Caraca… muito lindo ein ;D
    Vcs dois são mt fofos juntos..
    Adoros vcs ;D

  4. Muito bom! Gostei! Sucesso & Amor na Cidade Luz. Marcelo Milk

  5. Parabéns Pi! Muitas felicidades para vocês dois sempre!

O que você achou dessa notícia? Comente