20/11/2017

Recuperado, Gilberto Gil volta aos palcos com Caetano e emociona em SP

Por Felipe Branco Cruz
Publicado originalmente no UOL em 17/09/2016

O cantor Gilberto Gil, 74, voltou aos palcos nesta sexta-feira (16) para uma apresentação com Caetano Veloso, dentro da turnê “Dois Amigos, um Século de Música”, no Citibank Hall, em São Paulo. O show celebra os 50 anos de carreira e amizade dos músicos. A dupla se apresenta também neste sábado (17), às 22h30. Os ingressos estão esgotados.

A apresentação marcou a volta de Gil após a sua mais recente internação no hospital, para tratar um problema renal, e o cancelamento de um show no Rio de Janeiro, no final do mês passado.

Mesmo em tratamento, Gilberto Gil não demonstrou cansaço nem fadiga durante as duas horas de apresentação, embora a sua voz tenha falhado em alguns momentos. O rosto visivelmente inchado foi a única evidência visível das recentes passagens do cantor pelo hospital.

Durante todo o espetáculo, Gil recebeu o carinho do público, que, emocionado, lhe dirigiu gritos como “Te amo Gil”, “Viva Gil” e “Gil eterno”. O cantor, no entanto, foi comedido nas palavras e disse apenas duas frases ao público: “canta Sampa” e “mais uma vez”, ao pedir que todos cantassem com ele a composição “Toda Menina Baiana”.

17set2016-caetano-veloso-e-gilberto-gil-se-apresentaram-juntos-no-palco-do-citibank-hall-em-sao-paulo-com-a-turne-dois-amigos-um-seculo-de-musica-1474085562753_300x300Gil não largou o violão em nenhum momento durante a apresentação. Ele parou para beber água apenas uma hora depois do início do show, após cantar “Drão”. No repertório, ao contrário das últimas apresentações da dupla, eles deixaram de fora apenas duas faixas: “Leãozinho” e “Three Little Birds”, que estavam previstas para serem cantadas em um segundo bis, que não ocorreu.

A apresentação contou também com um momento bastante emocionante, durante a interpretação de “Não Tenho Medo da Morte”. Em clima soturno, Gil praticamente sussurrou ao microfone enquanto batia na caixa acústica do violão. Ao final, após os versos “Não tenho medo da morte/ Mas sim medo de morrer”, em uma clara manifestação de apoio e com muitos gritos de “Viva Gil”, o público se levantou e aplaudiu de pé por dois minutos.

Na plateia foi possível perceber que se formou naturalmente um clima de torcida pela saúde de Gilberto Gil. O público ajudou como pode o cantor, com aplausos e demonstrações de carinho. Se a máxima de que o artista se alimenta das palmas do público estiver correta, Gil certamente deixou esta apresentação mais próximo de uma plena recuperação. Ao final, os amigos de longa data deixaram o palco rindo, abraçados e de mãos dadas, certos de que esta amizade ainda renderá muitas outras músicas inesquecíveis.

Problemas de saúde
Gilberto Gil tem se internado com frequência no Sírio Libanês, em São Paulo, para tratar de insuficiência renal. De acordo com a assessoria do artista, ele tem de retornar mensalmente ao hospital para tratamento contínuo.

A apresentação foi a primeira feita por Gil desde o dia 5 de agosto, quando cantou na abertura da Olimpíada, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o artista interpretou com Anitta e Caetano Veloso a música “Isto Aqui, O Que É?”.

Por conta de náuseas, devido a medicação dos problemas de saúde, o show que Gil e Caetano fariam no dia 27 de agosto, no Rio de Janeiro, foi adiado para 30 de outubro. Dois dias depois de cancelar o show, em 30 de agosto, Gil voltou de ser internado por sete dias para dar continuidade ao tratamento.

A turnê, que relembra os grandes sucessos e parceiras dos baianos em cinco décadas de música estreou em junho de 2015 em Amsterdã, na Holanda, e já passou por dez países. Em abril e maio deste ano, os dois fizeram uma série de 16 apresentações por Estados Unidos e Europa. O repertório repassa a carreira de Caetano e Gil, desde o início da amizade, ainda em Salvador, passando pela criação do movimento tropicalista e os maiores sucessos.

O que você achou dessa notícia? Comente